Loading...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A Prepotência do Amor


O grande problema nosso, quando estamos apaixonados está na forma de como impomos os nossos sentimentos para o outro. Isso é facilmente notável quando o relacionamento acaba. “Ninguém te amará da forma como eu te amo”, “Ninguém é capaz de fazer as coisas que eu sou capaz de fazer por você.” #É mesmo???# E quem pode garantir isso? Não conhecemos todas as pessoas do mundo, tampouco somos capazes de medir a capacidade das várias maneiras de amar das outras pessoas. Porque o amor na verdade é uma surpresa. Acontece por acaso. Quem sabe por sincronismo. Faz-nos conhecer o melhor lado de uma pessoa (e às vezes o pior. rs). O amor pode estar próximo ou distante, ser certo ou confuso. Pode ser forte e concreto, ou insuficiente diante das necessidades do outro. Vai saber... O amor é um mistério, uma loucura deliciosa, quando existe em alto grau a libido... Chega a desequilibrar tudo que achávamos estar sob controle. É algo que nos mostra também que somos ótimos idiotas (de uma forma até boa), fazendo besteiras e achando isso a coisa mais normal do mundo. Pois para tudo isso se põe a culpa no amor. Uma boa experiência: não devemos impor o amor a ninguém! Ofereça-o apenas, se for o melhor para nós! Há mil formas de errar ao amar alguém, mas existem outras mil e uma maneiras, tendo disciplina, para acertar e não dar continuidade à repetição do que foi aprendido/presenciado, por exemplo, ao modelo dos nossos pais.# (Bosco Freire de Andrade)

Um comentário:

  1. É o orgulho é sempre mau conselheiro!!!Quando passamos a comparar a intesidade de nosso amor e a cobrar por isso, não estamos preocupados com o outro , mas sim com nosso orgulho ,nossa vaidade.Nestas situações o amor é um apêndice, um enfeite que ostentamos como símbolo de realização.Também usamos o amor do outro para completar o que nos falta, e assim vamos nos enganando, sentindo um vazio e cobrando do outro, quando o que buscamos,o que nos falta, tem que nascer bem dentro de nós e chama-se amor próprio. Eu amo mais e melhor na medida em que muito me gosto e me respeito, Afinal, nunca ninguém me fará nada que eu mesma não tenha permitido.

    ResponderExcluir